Home Notícias tecnologias de segurança para casa

tecnologias de segurança para casa

por Notícias TI Forense

Sua casa é sua ilha particular de tranquilidade onde você pode descansar em paz… desde que seja seguro, é claro. Caso contrário, um dia completamente improvável pode se tornar um lugar público. Dito isso, fizemos uma seleção de tendências e novos produtos no campo das tecnologias de segurança inteligentes para casa. Nós explicamos as vantagens de cada um e o que você deve considerar como usuário.
Sistemas domésticos inteligentes, drones, IA: analisamos as principais tendências e inovações no campo da segurança doméstica

Sistemas de segurança DIY

Analistas preveem que nos próximos anos mais e mais pessoas irão instalar seus próprios sistemas de segurança e monitorar suas casas sem ajuda profissional. O mercado já oferece vários sistemas que não exigem conhecimentos ou habilidades específicos para instalá-los ou operá-los. A economia na instalação e o fato de não precisar se conectar a um escritório de segurança centralizado são questões importantes no processo de decisão de compra, explicando assim a crescente demanda por esses sistemas. É claro que você não quer um apocalipse ocorra em sua casa inteligente. Portanto, se você está pensando em comprar um sistema de segurança DIY (Do-it-Yourself, ou em português faça você mesmo), vale a pena lembrar alguns dos inconvenientes que você terá que lidar.

Primeiro, o alarme pode ser ativado a qualquer momento, independentemente do horário. Imagine que você está passando a noite na casa de um amigo ou em férias na praia quando, de repente, você recebe um alerta do sistema de segurança. O que faz? Você estuda a gravação da câmera de onde estiver, no meio da noite, para ver se o alarme cometeu algum erro? Você ignora a mensagem? Você adia para a manhã do dia seguinte? O que aconteceria se tivessem invadido sua casa para roubar?

Segundo, problemas potenciais de comunicação sempre aparecem. Imagine que a bateria do seu telefone acabe na hora errada ou que você não tenha sinal de internet no meio do nada. E neste exato momento, ladrões entrem em sua casa. O sistema de segurança tenta avisá-lo, mas você não está disponível e as mensagens não chegam até você. Pode parecer bob, mas não é impossível.

Terceiro, se você assumir total responsabilidade pela proteção de sua casa, não haverá ninguém para supervisionar o sistema de segurança em si. E qualquer tecnologia, incluindo as relacionadas à segurança, pode apresentar vulnerabilidades que os criminosos poderiam aproveitar.

Por exemplo, em 2017, a pesquisadora Ilia Schnaidman descobriu erros no sistema DIY do iSmartAlarm que permitiam a um intruso assumir o controle de qualquer sistema de alarme para ativá-lo ou desativá-lo. E, recentemente, os especialistas da Kaspersky hackearam uma casa inteligente da Fibaro e conseguiram não apenas desativar o sistema de segurança e as câmeras de vigilância, mas também abrir remotamente a porta da frente, que tinha uma fechadura inteligente.
Especialistas da Kaspersky hackearam uma casa inteligente da Fibaro

Um exército de dispositivos inteligentes residenciais

Componentes domésticos inteligentes não relacionados a sistemas de segurança também permitem a verificação de como está tudo em sua casa. Por exemplo, uma campainha inteligente pode ser usada para ver e conversar com seus hóspedes, mesmo se você estiver do outro lado do mundo.

Mas se alguém chegar na sua porta e não dizer quem é, você pode enviar um comando para a fechadura inteligente bloquear a entrada. Ainda, você pode configurar a porta para abrir automaticamente para pessoas específicas, claro que confiáveis, como a responsável pela limpeza. Elas, por exemplo, podem ser úteis para conferir se realmente a porta está trancada.

Lâmpadas inteligentes podem acender de repente se houver alguém rondando em seu quintal e você estiver fora. Às vezes, isso é o suficiente para assustar os ladrões com menos experiências. Além disso, muitos fabricantes de sistemas oferecem o modo de iluminação “remota” com o qual luzes inteligentes simulam sua presença, as ligando e desligando em determinados momentos. Desta forma, a iluminação também pode fazer parte do sistema de segurança de uma casa inteligente.

Mas, como todas as tecnologias relativamente novas, os dispositivos inteligentes são vulneráveis. Eles podem ser hackeados e usados ​​contra você. E quanto mais complexo o equipamento, maior a probabilidade de mostrar falhas sem motivo aparente.

Cada vez mais inteligente

Outra tendência no campo da segurança doméstica é a inteligência artificial (IA). Ao contrário dos dispositivos inteligentes, os sistemas de IA são capazes de aprender e se adaptar. No âmbito das tecnologias de segurança, eles estão preparados para distinguir as ameaças reais das imaginárias; por exemplo, um ladrão invadindo sua casa ou seu filho subindo por uma janela. Portanto, o alarme grita “lobo!” com menos frequência, para que os usuários e a equipe de segurança estejam mais atentos quando realmente acionados.

Para conseguir isso, os desenvolvedores empregam uma variedade de tecnologias. O reconhecimento facial permite que o sistema conceda luz verde aos moradores, visitas frequentes, como familiares e amigos. Então, o geofencing detecta, por exemplo, quando alguém fica muito perto de uma estrutura ou se fica muito tempo perto da porta.

É claro que a precisão nas decisões tomadas pela IA ainda precisa ser otimizada. Sem mencionar que o cérebro eletrônico pode ser enganado, da mesma forma que o humano. Portanto, ainda é muito cedo para substituir as pessoas nas tarefas de monitoramento de sistemas de segurança domésticos inteligentes.

Robôs com guarda-costas

A maioria dos sistemas de segurança e dispositivos descritos acima, inteligentes ou não, estão imóveis e não podem se mover livremente, o que significa que, em teoria, eles têm pontos cegos. Nesta perspectiva, por assim dizer, a Sunflower Labs apresentou um interessante projeto.

Ao redor do perímetro do local estão instaladas lâmpadas de jardim equipadas com microfones e sensores de movimento/vibração. Ao perceber algo que é considerado suspeito, o proprietário é notificado, podendo usar o aplicativo móvel para lançar um drone com câmera. O drone percorre automaticamente o caminho até o local onde o problema foi localizado e transmite através de sua câmera de vídeo ao vivo para que a situação seja verificada. Após concluir seu tour, retorna à base para carregar e, a partir daí, faz o upload das informações para a nuvem.

Perguntas diferentes surgem: o drone funciona sob condições climáticas adversas? O criminoso pode derrubá-lo e, nesse caso, como o sistema protegerá o usuário? É muito difícil sequestrar um drone? No entanto, de um ponto de vista mais amplo, os desenvolvedores estão procurando novos métodos para tornar a segurança doméstica mais fácil de usar e confiável.
A Internet das Coisas ainda não se tornou  referência no âmbito da segurança da informação

Em busca da autonomia

Como você pode ver, os sistemas de segurança e outras tecnologias de proteção doméstica estão se tornando flexíveis, autônomos e acessíveis, o que é bom. No futuro, mais pessoas poderão monitorar a segurança de suas casas em tempo real e responder rapidamente aos incidentes.

Por outro lado, a transição para sistemas de segurança independentes e soluções inteligentes exigirá maior conhecimento da segurança da informação pelos usuários. Para evitar que o seu sistema de segurança doméstico inteligente se torne uma arma nas mãos de um intruso, você deve, pelo menos, estar ciente das vulnerabilidades e instalar prontamente todas as atualizações.

Fonte: https://www.kaspersky.com.br/blog/home-security-systems/12201/

Artigos Similares

Deixe seu comentário